25 de dezembro de 2007

da fina arte de laminar amêndoas


















Compre as amêndoas – caríssimas - mas não muitas, para sobrar um dinheirinho para o peru. O suficiente para encher meia xícara de chá, o que, provavelmente, contará umas cinqüenta amêndoas.

São diminutas, muito duras, enrugadinhas, protegidas por peles morenas que, infelizmente, é necessário tirar, ainda que pareça impossível. Por isso, não se deixe intimidar. Chegando à cozinha, prepare-se para cuidar delas. Isto demanda tempo.

Numa panela, coloque água e leve ao fogo alto. Quando ferver, desligue. Acrescente as amêndoas e deixe aferventar por três minutos. Cronômetro.

Prepare uma outra tigela, esta com água e gelo. Passado o tempo, desfaça-se da água fervida e transfira as amêndoas quentes para boiarem junto com os cubinhos gelados.

É o choque térmico que faz com que a pele das meninas se solte. Uma pena. Ou melhor, um peeling. Deixe esfriar por dois minutos. Cronômetro. Assim, ficam geladas.

Em seguida, retire as peles. Bronzeadas que eram, tornam-se brancas, dessas mais frescas, que passam bloqueador solar até à noite. Contudo, é preciso dizer: as rugas continuam ali.

As capinhas ficam soltas, como um balãozinho murcho, mas não saem sozinhas. Com a ponta de uma faca pequena deve-se furar e puxá-las com cuidado, uma a uma, delicadamente, das cento e cinqüenta amêndoas. Neste ínterim, preaqueça o forno a 160ºC (temperatura baixa), por dez minutos. Termômetro. Cronômetro.

Depois de descascadas, ou peladas, ou despeladas, ou escalpeladas, ou escaldadas, ou produzidas por tratamento estético, organize as mil e quinhentas amêndoas numa assadeira.

Coloque-as dentro do forno - desligado - por dez minutos. Cronômetro. Ah, chacoalhe a assadeira de vez em quando para que elas se animem um pouco e assem por igual.

Tempo findo, diga às garotas que a sessão de bronzeamento artificial acabou – afinal, fizeram descamação pra quê? Organize todas elas em cima de uma tábua e peça para ficarem quietas – mulheres quando se juntam...

Agora sim, tem início o verdadeiro trabalho artístico. Com um bisturi, digo, uma faquinha, muito afiada, comece a cortar as cem mil e quinhentas amêndoas em lâminas bem finas.

A princípio, você vai laminar os dedos com mais facilidade que as amêndoas. É que eles são mais macios. Mas não se preocupe. Depois de partir um milhão e quinhentas mil delas, é possível cortar uma única, com cerca de 1cmx0,5cm em pelo menos oito pedaços. Cuidado para não ser soterrado.

Depois de terminado, aprecie no arroz metido a besta, na salada sofisticada, na decoração da sobremesa.

E lembre-se alegremente: ainda tem que preparar o peru, que é um só!

4 comentários:

fabiana disse...

hmmm, receita anotada...só falta juntar coragem! rs...beijos e boas festas

Anônimo disse...

hahaha... ontem laminei 500 gr de amendoas, desse jeito aí, maior trabalheira.. hahaha.. estava procurando no Google alguma técnica nova e não achei... não sei se tô sem um dedo ou se tá sobrando uma amêndoa a mais em minhas mãos. Dei boas risadas lendo o texto, parabéns.

Rogério Lisbôa
www.chefrogeriolisboa.com.br
rogeriolisboa@yahoo.com.br

Hipolitomulato disse...

Quando voce falou "um milhão e quinhentas mil amedoas " pensei que exagero mas acho que foram dois milhões...

Anônimo disse...

Postagem altamente nesta página, post como aqui está dão brilho ao indivíduo que visitar neste blog :/
Realiza muito mais do teu web site, aos teus cybernautas.