4 de setembro de 2007

toccata e fuga

No estribilho...
O estribo levantou o martelinho,
Que bateu na bigorna,
(Feliz)

Tocada da música,
Toquei as notas mais altas
Com minhas mãos frias.
(Toco pelo calor que arrebata a pauta)

Fugi quando não mais podia
E na fuga,
Estilhacei os tímpanos.
(Fujo do compasso que abomina a letra)

E, sozinha no tempo, no vácuo e no amor,
Com a concha de meus ouvidos cegos da vida,
Antevi o próximo acorde.
(Mas nem os fantasmas se lembrariam de mim)

Um comentário:

fabiana disse...

nossa, que lindo isso, menina!