29 de agosto de 2009

aula de flamenco

Esquerda! Salto, golpe, salto, salto, planta, virou! Direito! Planta, planta, golpe, salto, salto, virou...
Professora...
Sim?
Isso não faz o menor sentido. A vida inteira me disseram que o que um lado faz, o outro tem que fazer igual.
No flamenco as coisas são um pouquinho diferentes.
O que faz sentido pra mim é a lei da gravidade.
Como?
Meus dois pés esquerdos estão brigando com a planta e o salto do pé direito.
Sei...
E isso foi porque eu nem lembrei pra que lado os dois braços direitos vão ainda: se por dentro, por fora, de cima, de baixo ou de lado.
Calma, preste atenção que você consegue...
E ninguém comentou se eu devo girar as mãos e os dedinhos pra dentro ou pra fora neste dado ângulo.
Não se preocupe com isso agora...
Olha, eu não entendo como posso dar um pulinho com o salto do pé esquerdo levantado, sendo que o peso do corpo estaria para o lado direito e eu preciso voltar com a planta do pé direito imediatamente para fazer a troca para o golpe do pé esquerdo de novo cruzando por trás da perna direita e ainda finalizar com três saltos do referido pé direito.
Não racionalize tanto...
Eu não consigo.
Ai...
É que quando eu olho para o espelho tenho a leve impressão de que estou fazendo tudo ao contrário, entende?
Então não pense, apenas sinta o sapateado.
Professora...
Ahn?
Se eu pensar eu caio.

4 comentários:

Maíra Brito disse...

cai nada!
=)

tenta lembrar pq vc está ali. pra se divertir, não é mesmo??

Mefisto disse...

Tive a mesmíssima dificuldade com Wushu. Adorava, mas se não me explicassem o que eu fazia com o tronco, enquanto os braços faziam 360 graus em sentidos contrários e as pernas, cruzadas, com a planta dos pés estiaradas, enquanto saltava, eu não conseguia, não, de jeito nenhum. Tinha que saber tudo, tim-tim por tim-tim. :)

bjo e boa sorte!

O Maltrapa disse...

Quanto mais se racionaliza, menos se dança.

Por isso que rebolar continua sendo a dança universal, hahaha!!!

Aliás, deixe um pouco a dança de lado e vem escrever outras melodias, linda...

Beijo,

O Maltrapa

Fabi disse...

mulher, flamenco vem do peito! do estômago! das vísceras de centenas de anos de histórias doídas! lembra da última dor de cotovelo - agoooora vai!!!!