23 de novembro de 2006

o sorriso

Eu queria que o sorriso saísse
Mas ele não quer.
Está preso aqui
Em algum lugar entre o estômago e o coração,
Agarra-se nas alças dos intestinos
Empurra os pulmões com os pés
E não sai de jeito nenhum.
Quando peço, com toda a educação,
Ele berra lá de dentro pra mim
Eu não vou, eu não vou, eu não vou!
Parece até criança de birra
De tanto que me desafia e ofende esse sorriso.
E eu que me sentia vazia
Descobri que o tenho aqui, preso e choroso,
Contrariando a vontade da alegria que ele deveria ser
E o ofício de se mostrar assim
Para quem o quiser ou pedir.

2 comentários:

Anônimo disse...

ha! mostre ao sorriso uma taça de lambrusco com aquela cerejinha no fundo! não tem sujeito que resista, querida - você empunhando um frizzante!
beijos

FilmStar disse...

se tem gente vendo seu sorriso e dando um passo em sua direção, não se avexe! deixa a tremidinha vir, o coração disparar.. e dá um passo pra frente tb!
pode acreditar, tudo acaba em dança.
":)
bjosss